O que é um hypervisor?

Hypervisor é uma camada de software entre o hardware e o sistema operacional. O Hypervisor é responsável por fornecer ao sistema operacional visitante a abstração da máquina virtual. E é ele que controla o acesso dos sistemas operacionais visitantes aos dispositivos de hardware. Existem tecnologias de hardware que otimizam a execução de máquinas virtuais, dentre essas tecnologias estão VT-d e AMD-V.

 

Existem diversos hypervisors no mercado, tanto open source quanto pago. Alguns exemplos de hypervisor são kvm, hyper-v, vmware, xen, cada um com seus prós e contras e seus custos. Cabendo a um especialista ajudá-lo na decisão de qual hardware e hypervisor se enquadra melhor ao seu cenário.

Para dúvidas sobre quais as melhores tecnologias para o cloud contate a GetCard.

O que é Cloud Server?

O Cloud Server é um ambiente de computação virtualizado a qual é criado no topo de um cluster (Sistema de Computação em Nuvem). Em tais sistemas, as operações de processamento podem ou não ser fisicamente separadas do armazenamento de dados, dependendo se arquitetura contempla sistema convergente ou hiperconvergente. Isso significa que um sistema de computação em nuvem tem componentes de infra-estrutura principais – “Nós de processamento” e “Storage Area Network”.

 

“Nós de Processamento” significam servidores conectados, que combinam suas unidades de processamento central (CPU), memória de acesso aleatório (RAM) e outros recursos de processamento em um único sistema. “Storage Area Network” é um número de dispositivos criados com a finalidade de armazenar dados eletrônicos. Ambos os elementos estão conectados com um tecido de interconexão de baixa latência e podem ser escalonados facilmente com qualquer interrupção das operações do computador.
Um servidor de nuvem que reside no topo de um sistema em cluster como o descrito acima, apresenta escalabilidade e, muitas vezes, recursos de alta disponibilidade e failover.

Existem diferentes tipos de Cloud Servers, devido à variedade de tecnologias e sistemas de computação em nuvem, cada um com seus prós e contras. Um especialista GetCard pode te ajudar a escolher a melhor solução para seu cenário com uma otimização nos custos a serem investidos.

Servidor Dedicado e Desempenho ou Reduzir Custos com um Cloud Server?

Uma das principais dúvidas que muitos usuários apresentam quando estão iniciando ou querem dar um passo além com relação a sua estrutura de hospedagem ou um ambiente para seus aplicativos, é qual melhor tipo de serviço e ambiente irá lhe ajudar no desenvolvimento de seu projeto ou negócio: um Servidor Dedicado ou um Cloud Server?

Por mais que este assunto seja já rotineiro na internet, principalmente nas redes sociais, as vantagens e desvantagens que cada estrutura apresenta, levando em consideração as necessidades de personalização e os custos, geram ainda muitas dúvidas que impactam diretamente na escolha da solução ideal .

Neste sentido, a damos uma mãozinha com dicas e informações sobre cada uma das possíveis escolhas, de um modo menos formal e abrangente, para você se sentir mais confortável na tomada de decisão. Lembrando que na GetCard você conta com total apoio para as suas dúvidas, assim como a personalização necessária para o seu TI e toda infraestrutura de serviços, com atendimento 24h por dia, através de nossos especialistas.

Enfim, vamos ao comparativo 🙂

Servidor Dedicado

Quando falamos em servidores dedicados, já nos surge a ideia de uma máquina exclusiva, oferecendo maior poder de processamento para aplicações de médio e grande porte. Não que esta estrutura não possa ser utilizada para pequenas aplicações, contudo, colocando na ponta do lápis, os custos serão muito mais elevados do que o uso, em tal ocasião, de um servidor compartilhado ou uma estrutura de cloud server.

Assim, ao optar por um servidor dedicado, além das virtudes apresentadas de maior poder de processamento e uso de recursos, você conta com um acesso exclusivo que permite a configuração personalizada e necessária para a máquina adquirida (no caso de optar por adquirir uma máquina, deixando a mesma aos cuidados do data center, ocorre a opção de um outro formato de serviço denominado Colocation, o que é um assunto para outro momento).

Todo o poder de processamento associado a uma boa banda eficiente, traz ainda mais benefícios para os usuários que obtém uma conexão direta e segura (levando em consideração os detalhes necessários na configuração do serviço) para rodar os recursos necessários.

Uma das desvantagens do servidor dedicado, assim como todo serviço que exige certa exclusividade, são os custos apresentados pelo mesmo, sendo recomendado a sua aquisição quando as exigências do ambiente de trabalho, necessárias para rodar a aplicação, requerem alto desempenho. Um outro item, é assumir os custos de hardware e software do mesmo, que também devem ser levados em consideração quando necessário upgrade ou manutenção.

Servidores Compartilhados ou Cloud Server

Dentro da estrutura dos servidores compartilhados ou cloud server, temos a vantagem de um custo inferior pois, através de máquinas virtuais dentro de uma estrutura e um gerenciamento eficiente de dados dentro do ambiente de um data center, temos a opção de alocação dos recursos necessários, e de forma personalizada, para diversas situações.

Não significa que você irá perder um desempenho extremamente significativo dentro de um ambiente compartilhado, em relação ao dedicado. Dependendo da estrutura solicitada para um ambiente cloud, os custos serão tão altos quanto um servidor dedicado ou maior, mas a maleabilidade e o poder de tomada de decisão em várias situações e ocasiões diferenciadas, fazem dessa escolha, um elemento importante na decisão quando um ponto de decisão fundamental é o financeiro (você pode por exemplo optar por aumentar os recursos somente quando for necessário).

Neste sentido, ao optar por uma estrutura em cloud, você conta com escalabilidade, sem precisar se preocupar com uma estrutura 100% de consumo máximo a todo momento; versatilidade de recursos (você pode, por exemplo, selecionar a quantidade de memória e processamento do servidor em muitos casos) e, obviamente, como comentado, você poderá economizar com os custos destinados ao seu e-commerce ou aplicação, se os mesmos não exigirem um alto consumo de recursos constantemente.

Uma das desvantagens dentro do ambiente de Cloud é que, como o ambiente opera de modo compartilhado, toda estrutura apresenta uma largura de banda também compartilhada e existem alguns limites de memória e processamento dentro deste ambiente, apesar de sua flexibilidade (em muitos casos, você pode consultar o seu data center e solicitar uma personalização além dos recursos apresentados, como fazemos aqui na GetCard).

Neste sentido, cada um dos ambientes (Dedicado ou Compartilhado / Cloud) oferece vantagens e desvantagens. Está pensando em hospedar o seu site ou e-commerce? Uma estrutura compartilhada / cloud server é uma excelente opção que atenderá, sem dúvida, os requisitos iniciais para a sua demanda. Possui uma aplicação que necessita de alto poder de processamento? Um servidor dedicado pode ser a melhor opção.

Enfim, este é um simples comparativo que, obviamente, outros fatores e detalhes devem ser levados em consideração para a tomada de decisão.

 

Precisa de algum destes serviços, com atendimento humanizado, personalizado e à disposição 24 horas / dia? Fale com a gente! Temos sempre uma opção ideal para atender suas necessidades.

O que você precisa saber sobre cloud server e cloud computing

O conceito de nuvem é muito utilizado na internet atualmente, mas o que você realmente necessita saber sobre ela? Palavras inglesas como Cloud Computing e Cloud Server podem parecer confusas, mas neste post vamos esclarecer os conceitos e suas importâncias:

Computação nas nuvens ou Servidor Cloud, a tradução dos 2 conceitos que iremos trabalhar em nosso artigo, diz respeito a técnica de processamento e armazenamento de dados que se utiliza de várias máquinas interligadas para executar tarefas. Permitindo assim escalabilidade de recursos e garantia de um melhor desempenho na realização dessas atividades.

Basicamente a famosa “nuvem”, é o fornecimento de serviços, como armazenamento de dados, servidores, entre outros, tudo provido via internet, o que permite acessar suas informações de qualquer lugar do mundo, por diversos tipos de dispositivos, sendo necessário, basicamente, uma conexão com a internet.

Ambientes, por exemplo, como o Google Drive, DropBox, Azure, o próprio GetDrive da GetCard ou semelhantes se apropriam desta tecnologia para gerar maior escalabilidade em recursos e proporcionar alto desempenho do processamento nas nuvens.

Neste sentido, serviços que envolvem um Servidor Cloud ou Cloud Computing se utilizam do alto desempenho de processamento nas nuvens o que, presencialmente, seria extremamente inviável pelo custo e alcance de desempenho mediante diversas necessidades, até mesmo momentâneas.

Na nuvem sempre há mais de um servidor físico em cada operação, para garantir que suas atividades continuem “rodando” sem problemas. Isso envolve diretamente a virtualização de recursos para oferecer exatamente os recursos necessários para as suas aplicações.

Por isso existe a possibilidade e a “elasticidade” do aumento de memória, espaço de armazenamento e processamento. Tudo isso sem prejudicar a segurança, autonomia e crescimento sustentável do seu negócio.

Se sua empresa precisa de Cloud Server, conheça nossos planos e veja qual melhor se encaixa para suas necessidades!  Ou entre em contato conosco para maiores informações.

Importância da usabilidade nas lojas online

Um dos aspectos que mais influenciam na aceitação positiva do público relacionado às lojas virtuais é a usabilidade, está se resume em uma maneira de facilitar a navegação pela interface do site, sem diminuir as funcionalidades do sistema, sendo que a usabilidade está diretamente relacionada com a realização de ações dentro do ambiente online e a facilidade com que o usuário se adapte desde o começo as informações e ações realizadas neste cenário.

Em resumo, faça mais com menos e a famosa frase “não me faça pensar”, utilizada até mesmo como título de um livro dos mais famosos personagens do cenário de usabilidade e acessibilidade no mundo: Steve Krug.

Com o passar dos anos ficou claro, tanto para o público quanto para os comerciantes digitais, que o apelo visual, a facilidade e a velocidade de acesso, influenciam, e muito, na decisão de compra.

Neste sentido, o que se deve ter em mente é que a usabilidade não está somente relacionada ao apelo visual e aos atrativos estéticos do site ou e-commerce. O que é relevante para a usabilidade é a maneira de se utilizar cada um dos elementos dentro do portal, identificando de modo quase imediato ou com o mínimo de contratempos as possibilidades em totalidade. Tudo deve estar disposto de uma maneira simples, que seja auto-explicativa à quem esta acessando sua página.

Para isto, nos utilizamos sempre de certos padrões que podem ser utilizados sem medo de errar na escolha das melhores práticas presentes no mercado, por exemplo: o ícone do carrinho de compras, o campo de busca na parte superior direita, ou mesmo uma página com telefone e e-mail para contato, fontes que apresentam as mesmas condições de funcionalidade com a mesma identidade e design, entre outros. Todas estas situações são muito corriqueiras no mundo digital mas tem resultados efetivos para que o cliente consiga se encontrar facilmente dentro do seu e-commerce.

Como medidor da usabilidade, um item importante é a facilidade de um item ou objeto ser encontrado no seu site, por exemplo, ou a facilidade / tempo em que um cliente demora para finalizar a compra, assim como o quão fácil é para o mesmo pôr e retirar objetos do “carrinho de compras”. Tudo deve estar disposto de uma maneira que não haja nenhuma dificuldade para a conclusão da compra e, neste sentido, nos pontos que necessitam de alta conversão, reduzir ao máximo as distrações que viabilizem a fuga do usuário de sua tomada de decisão (já repararam como em alguns e-commerces na atualidade, o checkout se apresenta como uma estrutura muito mais limpa, aparentando até mesmo estar em outro site ou ambiente).

O seu consumidor deve encontrar em seu site um texto simplificado e bastante objetivo, pois se levarmos em consideração pesquisas como à apresentada por Dailton Felipini em seu livro “Google Adsense”, o qual revela que a leitura no computador é cerca de 25% menos produtiva e cansativa do que a leitura em papel, seu cliente pode se cansar ao encontrar informações muito complexas. Ao menos que seu produto ou serviço oferecido tem um público com alto teor de conhecimento.

A sua home page é uma das mais importantes, por muitas vezes torna-se o primeiro contato do seu público com a sua marca. Um ponto a se destacar é que o objetivo na página inicial não é a sobrecarga da mesma com inúmeras informações. Nos 40% inicial de seu site os elementos mais importantes devem ser distribuídos para conforto e facilidade de acesso do usuário. Ao menos tempo foque em um design clean e confortável para o acesso em qualquer que seja o dispositivo utilizado, pois o propósito final do seu site, além da venda, é garantir o retorno e satisfação de seu usuário.

Por fim, observando até mesmo as necessidades apresentadas pelo tempo reduzido do usuário nos tempos atuais, e a otimização para mecanismos de busca (SEO), o e-commerce ideal não pode deixar de lado a velocidade de carregamento e apresentação dos dados para o usuário.

Como citamos em no artigo “E-commerce e aumento de vendas de final de ano e quão importante  ter um servidor seguro: Quando seu site demora mais de 10 segundos para abrir isso pode diminuir o número de clientes e gerar menos visitantes, segundo John Mueller da Google, ou seja a diferença pode estar em segundos para um melhor rankeamento do seu site (e observando o tempo de 10 segundos, podemos dizer que Mueller está sendo bem generoso para o mercado atual).

Para ter um alto desempenho conheça e traga o seu e-commerce para o universo GetCard! Conte com soluções de alta velocidade, desempenho e estabilidade através do Cloud Server.

sem-titulo-1