Blog

Conheça o PIX e a revolução do pagamento instantâneo!

O pagamento instantâneo é uma novidade que vem movimentando o mercado financeiro em 2020. Lançado pelo Banco Central, o PIX, ou pagamento instantâneo, oferece aos usuários uma possibilidade de realizar transferência de valores em tempo real e de forma rápida, até mesmo fora do horário comercial.

Atualmente, boletos e transferências bancárias demoram de um até três dias úteis para serem efetuadas. O PIX chega para acelerar esse processo de pagamento, simplificar transações em diferentes bancos, e diminuir as taxas já existentes nesse processo, tanto para pessoas físicas, como para empresas e até mesmo órgãos governamentais.

Quer conhecer um pouco mais sobre o assunto e aproveitar o melhor dessa alternativa que permite transações de maneira instantânea, em qualquer horário, dia ou período da semana? A GetCard separou um material exclusivo para te ajudar a compreender seus pontos principais. Venha conferir!

Mas afinal, o que é o PIX, ou pagamento instantâneo?

Para realizar uma transação entre contas de diferentes bancos, é necessário aguardar uma comunicação efetiva entre as duas instituições. Esse caminho acontece quando, o banco X aceita a transação e envia o dinheiro para o banco Y por um sistema de pagamentos padrão.

Pensando em otimizar esse processo, e conferir agilidade aos pagamentos, o Banco Central criou o PIX. A solução é uma alternativa de pagamento instantâneo, que garante transações de valores que funcionam durante 24 horas por dia, 7 dias por semana. Bem diferente das opções de TEDs e DOCs disponíveis por aí, não é mesmo?

Um dos principais diferenciais desse processo está no fluxo das transações, ou seja, a comunicação entre quem paga e quem recebe é mais ágil e livre de complicações. Outra vantagem que salta aos olhos é a disponibilidade, que não se limita a horários comerciais ou dias úteis, já que elas podem ocorrem a qualquer momento.

Transações de pagamento instantâneo: como o PIX irá funcionar?

Como o principal objetivo do PIX é oferecer agilidade para transações, o Banco Central anunciou que ela será realizada com duas formas de aplicação. A primeira alternativa se manterá no tradicional, onde o banco exige informações como CPF, CNPJ, telefone para contato, etc. Já como forma de atualizar o processo, o QR Code também será uma opção.

No campo dos QR Codes, a instituição anunciou que será possível utilizar duas vertentes da tecnologia. Com os códigos estáticos, vai ficar muito mais fácil realizar transações entre pessoas físicas, pois será possível realizar diferentes transações ao definir um valor para produto ou valor a ser pago para uma pessoa. 

Já no QR Code dinâmico, a indicação mais precisa de uso são em pagamentos de compras. Essa possibilidade oferece informações diferentes em cada transferência, como data, valor, especificações da compra, identificação e muito mais. Além da agilidade, essas opções de transação por código eletrônico vai trazer economia para os empreendedores.

Com essa realidade, as máquinas de cartão serão dispensadas? De certa forma sim! Apesar dos pagamentos tradicionais continuarem existindo, o PIX é uma oportunidade de negócios e consumidores modernizarem seus processos para construir um mercado mais ágil, barato e até mesmo seguro.

Tipos de transições do pagamento instantâneo!

O Banco Central ainda não anunciou limitações de bancos para as transferências de valores no PIX, porém, já existem indicações de transações que estarão disponíveis quando a alternativa for lançada. 

Transação P2P

A sigla, no mundo financeiro, simboliza a expressão person to person, ou seja, troca de valores de pessoa física com pessoa física. Você já utiliza pagamentos por transferência atualmente? Com o pagamento instantâneo PIX, essa realidade se tornará mais rápida e prática.

Transação P2B

O modelo P2B é usado para definir transações entre empresas e pessoas, mas no PIX, o comércio eletrônico também fará parte dessa fatia dos processos de pagamento instantâneo. Essa mudança foi pensada para beneficiar e-commerces, lojistas e empreendedores de diferentes setores do mercado.

Transação B2B

Em transferências que ocorrem entre empresas, para o pagamento de fornecedores, serviços terceirizados ou até mesmo parceiros de negócio, o pagamento instantâneo também será uma alternativa.  Um bom exemplo dessa dinâmica ocorre em lojas virtuais que utilizam transportadoras privadas para a logística e entrega de produtos.

Situações fora as listadas acima também vão acontecer no PIX. Transações P2G e B2G, onde órgãos governamentais estão envolvidos no processo, e transferências G2P e G2B, que se encaixam em pagamentos de convênios, salários e benefícios sociais, são bons exemplos de ocasiões onde o pagamento instantâneo será uma solução.

Impactos da implantação do PIX

Como já comentamos por aqui, o anúncio do pagamento instantâneo PIX não elimina a existência dos outros serviços de transferência. Porém, quando pensamos nos impactos dessa novidade futuramente oferecida pelo Banco Central, é possível imaginar uma queda no uso dessas outras possibilidades.

Taxas elevadas e uma dificuldade de se mostrar disponível para situações de emergência podem causar a queda de transações comuns como o DOC e TED. Mas eles não serão os únicos atingidos, já que o pagamento por débito tem grandes chances de ser substituído pela praticidade e segurança do pagamento instantâneo. 

As previsões também apontam mudanças em cobranças por boleto bancário, já que o PIX se apresenta como uma solução veloz e segura para valores transacionados no Sistema Financeiro Nacional.

Conheça a alternativa POS TEF da GetCard para vender a em qualquer lugar!

Mesmo com uma abrangência de possibilidades, é importante lembrar que a ferramenta ainda não está disponível, e tem seu lançamento marcado para o final de 2020. Mantenha-se atento ao blog da GetCard para receber mais novidades sobre o assunto!

Posts relacionados