Conheça as vantagens de usar o TEF GetCard!

vantagens TEF GetCard

As soluções de pagamento tem sido cada vez mais buscadas, especialmente pelos varejos, que precisam de uma relação dinâmica no atendimento para seus clientes, garantindo praticidade e segurança para ambas as partes.

O sistema de Transferência Eletrônica de Fundos, comumente conhecido como TEF, possibilita uma série de atividades que vão muito além do simples pagamento via cartões de crédito, como acontece com as antigas máquinas PoS (Point of Selling).

Nesta publicação, levantamos algumas das principais vantagens de usar o TEF GetCard. Continue a leitura para conferir!

Entenda o sistema por trás das transações eletrônicas

Para que o processo de transferência de saldo online seja cada vez mais seguro, com mais etapas de certificação, sua transação passa por algumas fases.

Após a compra, seu aparelho – PoS ou TEF – envia os dados registrados para a adquirente (a empresa responsável pelo aparelho), que redireciona o pacote para a empresa responsável pela bandeira do cartão e, depois de todas as certificações, o processo retorna.

Com a confirmação, a bandeira repassa os fundos para a adquirente, cobrando suas taxas e a adquirente faz o mesmo, até seu dinheiro estar disponível.

O procedimento apresenta algumas diferenças entre PoS e TEF e é sobre isso que vamos falar a seguir.

PoS e TEF: veja as principais diferenças

É importante diferenciar as duas principais modalidades de pagamentos para cartões de crédito, pois é muito fácil confundi-las:

  • Ambas possuem um aparelho Pin Pad. Porém, no caso do PoS, a estrutura se resume apenas a ele, que se conecta à internet para fazer suas autenticações através de um chip GSM, afetando um pouco sua velocidade de comunicação.
  • O TEF tem o Pin Pad como terminal para acessar o cartão e digitar a senha, mas está conectado a um computador que comporta o software e se comunica via internet a cabo.
  • As máquinas PoS costumam ser alugadas pela adquirente e, além do aluguel mensal, há uma taxa que incide sobre cada venda realizada. Para cada novo aparelho PoS, uma taxa será gerada.
  • Os TEFs também possuem um custo mensal, entretanto, é possível adquirir múltiplos pontos. Como opera por meio de um código de registro, o mesmo usuário pode ser acessado em diferentes ambientes, desde que haja toda a estrutura e seu terminal. Não há uma cobrança sobre cada transação feita.

Esses são os fatores que os distinguem. Mas, além das transações em cartão de crédito, os TEFs dispõem de alguns pontos adicionais bastante importantes, principalmente para quem trabalha com varejo.

Os benefícios de se trabalhar com um TEF

Ao trabalhar com um TEF, você notará, antes de tudo, a velocidade na autenticação. Isso porque, mais do que a comunicação cabeada com a internet, esse sistema possui canais extras caso o atual esteja congestionado.

Em relação às taxas, são mais fáceis de se identificar ao final do mês, evitando arbitrariedades ou cobranças abusivas por parte da adquirente.

Se você busca proteção contra fraudes, terá com o TEF outro benefício essencial: o fato de ter um software permite que você possa acessar um serviço de conciliação de vendas sem pagar a mais, assegurando a veracidade das transações realizadas e o estado de cada venda, se houve cancelamentos e afins.

Por ser conectado a um terminal, há também a possibilidade de integrá-lo ao seu sistema ERP, um serviço administrativo dinâmico em que é possível gerar relatórios de entrada e saída de produtos, relatórios de venda, de organização de tempo e situação fiscal.

Por exemplo, com seu TEF integrado ao sistema de armazenamento, dá para controlar a saída de produtos na boca do caixa e dar baixa em seu estoque.

Você ainda  consegue simplificar sua relação com o fisco: o TEF pode emitir notas fiscais. Basta entrar com seus dados no momento da confecção da NFC-e e as informações de venda serão enviados para o sistema da Secretaria da Fazenda do seu estado, onde você poderá acompanhar seus envios.

Com isso, fica muito mais fácil regularizar sua situação com o fisco, evitando dores de cabeça, fraudes e agilizando sua prestação de serviço.

As vantagens para quem usa o TEF são inúmeras,  você tem mais agilidade e facilidade no confrontamento de dados. Ele possibilita, também, uma compatibilidade muito maior com diversos tipos de cartões e até serviços extras de crédito. Tudo isso pode ser agregado em outras plataformas, como vending machines e vendas online.

Consulte a GetCard para experimentar todas essas utilidades e organizar uma plataforma que se adeque ao seu modelo comercial para ter a melhor experiência!

Para receber mais conteúdos sobre o mundo do varejo, é só ficar ligado em nosso blog. Semanalmente publicamos uma nova postagem repleta de informações!

Conheça as bandeiras de cartão regionais e suas vantagens

bandeiras de cartão e suas vantagens

Ao falar de bandeiras de cartão, pensamos nas grandes donas do mercado, Visa e Mastercard que, efetivamente, compõem uma parte majoritária de compras com cartões de crédito.

No entanto, a cada dia surgem novos concorrentes nacionais, internacionais e regionais com grandes modelos e benefícios para dinamizar esse mercado e oferecer muito mais vantagens para o consumidor e o vendedor.

Por isso, vale a pena conhecer mais sobre essa nova onda de bandeiras de cartão que tem ganhado seu espaço. É só dar continuidade à leitura para conferir!

Entenda melhor sobre as bandeiras de cartão

É natural que haja certa confusão entre as categorias Bandeira de Cartão, Adquirinte e Bancos, mas é fácil resolver o equívoco.

A bandeira, como você já sabe, está sempre ali embaixo de seu cartão. É elas quem gerencia os dados e limites de fundos de cada usuário.

Entre as mais populares, podemos citar, além de Visa e Mastercard, a ELO, American Express, HiperCard, SoroCard, entre outras.

A relação da bandeira com o banco é o fato de que quem fornece o dinheiro para seus clientes é o banco. A bandeira de cartão processa os dados dos usuários, que são autenticados para o banco. Cada bandeira tem seus termos, taxas e políticas distintas.

O papel da adquirente é oferecer a estrutura física, de softwares e rede para que cada vendedor possa incorporar a tecnologia em seu empreendimento, possibilitando a comunicação com a bandeira e, então, com o banco, realizando todas as etapas de autenticação. Ficou mais claro agora?

A ascensão das bandeiras de cartão de crédito regionais

É muito importante que tenha um mercado de bens e serviços nacionais e regionais para contrabalancear os monopólios, dar alternativas, competitividade e acessibilidade para os consumidores. E várias instituições estão tomando essa frente em relação aos meios de pagamento, que tem estado cada vez mais dinâmicos.

Além da ELO, que está crescendo bastante por incentivo dos bancos e instituições financeiras, promovendo investimentos, eventos e acessibilidade, em quase todas as regiões do país, há bandeiras regionais que facilitam muito a vida das instituições que fornecem crédito. Isso porque suas taxas são menores e as oportunidades de cooperação são inúmeras.

As vantagens não acontecem meramente para as empresas que cedem crédito, como também para as adquirentes, que tem um contato mais direto com as bandeiras, os vendedores, que ganham em variedade e taxas menores – quando não quase inexistentes – além de benefícios de fidelização.

Essas bandeiras ainda fornecem meios muito mais baratos para os consumidores, que não precisam pagar taxas pouco competitivas das gigantes e podem acumular vantagens diversas nas compras com seus cartões.

Saiba mais sobre as bandeiras private label

Uma forma importante para movimentar o mercado em todos os ambientes é a criação dos cartões private label, que são as bandeiras relacionadas à pequenas instituições financeiras, lojas e conglomerados, como os cartões de lojas de móveis, e-commerces e shoppings.

Com eles, você acumula benefícios de fidelização, podendo desfrutar com muito mais propriedade de comércios e redes regionais em que há preferências de compra, ganhando descontos, milhas e concorrendo a sorteios.

Eles são de grande ajuda para manter um sistema de crédito saudável, movimentando taxas competitivas e agregando diversos empreendimentos em uma rede de consumidores que contribui para todas as partes envolvidas!

O mercado de transações via cartão de crédito já movimenta, só no Brasil, um saldo trilionário.

Se você pretende oferecer mais praticidade para seus consumidores e adquirir diversas utilidades, movimentando uma rede regional ou até criar seu próprio cartão, vale a pena conhecer mais de perto a modalidade.

Com um terminal TEF você agrega diversas bandeiras e atividades em seu negócio, além das vantagens de automação e taxas acessíveis.

Para saber mais sobre o sistema TEF de cartões, entre em contato com a GetCard e simule o melhor plano para seu modelo de negócio!

Se quiser conferir outras postagens com conteúdos relacionados, é só continuar acompanhando nosso blog. Toda semana publicamos um novo artigo, repleto de novidades e dicas para você!

Conheça as principais fraudes em cartões de crédito

fraudes em cartões de crédito

Fazer vendas via cartões aumenta a versatilidade dos modos de pagamento em seu comércio e diminui consideravelmente o dinheiro físico em caixa, minimizando também os riscos e perdas em relação a assaltos e furtos.

No entanto, mesmo com uma série de tecnologias que se desenvolvem cada vez mais, pessoas mal intencionadas estão sempre trabalhando para passar por cima dos protocolos de segurança e cometer as principais fraudes em cartões de crédito.

Uma atividade criminosa desse tipo pode lesar gravemente o vendedor, que talvez nem desconfie que foi vitimado e só acaba por descobrir o dano causado ao final do mês.

Por isso, é muito importante entender quais são as fraudes mais comuns, como observá-las e quais dispositivos e táticas permitem aumentar sua segurança contra esses riscos.

Continue a leitura para saber mais!

Como acontecem as fraudes em cartões de crédito?

Diferente da relação com dinheiro físico, em que geralmente ocorre agressão ou coerção por parte do ladrão, os fraudadores de cartões de crédito agem com muito mais sutileza, fazendo questão de não serem notados.

Por se tratar de aparelhos eletrônicos que utilizam sinal para suas autenticações, a maioria das fraudes acontece pela apropriação criminosa de algum mecanismo dos dispositivos, como nos seguintes casos:

Troca da maquininha

As famosas maquininhas PoS, alugadas de empresas, costumam ser padronizadas de acordo com sua distribuidora, fazendo muito pouca diferença física. Com o tempo, o trabalho de passar cartões se torna mecânico e, muitas vezes, falta a conferência do canhoto do emissor, onde constam os dados da venda.

Aproveitando disso, os criminosos usam um momento de distração do atendente para substituir o aparelho do estabelecimento por um cadastrado com suas informações. Quando as vendas são feitas, o valor é redirecionado à conta do autor da fraude.

Essa forma de fraudação é mais comum do que parece e pode levar um tempo importante até que o emissor perceba o dinheiro perdido (que dificilmente conseguirá recuperar).

Cobrança indevida de taxas

Esse tipo de atividade pode ser considerada fraude, mesmo que possua uma “contratualidade” por parte da adquirente e do emissor.

Como falamos, com o tempo, o processo de conferir as taxas, as emissões e comparar na ponta do lápis os lucros, confrontados com o que é pago para a empresa do cartão, não percebemos quais taxas subiram sem aviso prévio ou foram cobradas indevidamente, sem a explicação adequada dos processos e suas implicações.

Um caso comum é a alta taxa sobre parcelamento e taxas administrativas que não são explicadas ou ficam nas “letrinhas miúdas” do contrato.

No momento da venda, as empresas omitem custos abusivos que podem ocorrer, aproveitando-se da falta de informações específicas e técnicas de muitos dos contratantes.

Outro agente capaz de lesar o varejista é o próprio banco, atrasando deliberadamente o repasse para forçar o cliente a tomar um empréstimo para conseguir fechar o mês em dia.

Cancelamento de venda

Essa espécie de fraude pode causar bastante dor de cabeça em varejos que vendem produtos com preço elevado.

Consiste na má fé do comprador em realizar a transação com o cartão e cancelá-la logo ao sair da loja, levando o produto mas não tendo o encargo da venda.

É até possível contestar o procedimento, quanto antes o varejista buscar por resolução, maiores as chances. Acontece que muitos não verificam diariamente os cancelamentos, aumentando as chances de ser lesado por algum cliente.

Troca de crédito por dinheiro vivo

Uma prática bastante corrente no mundo da agiotagem é adiantar dinheiro mediante uma transação de cartão de crédito.

Há taxas que incidem sobre a venda com cartões e, além de configurar um gesto à margem da legalidade, por agir como instituição financeira, tal oferta é capaz de trazer prejuízos ao vendedor.

 Como se prevenir de fraudes no cartão de crédito

Algumas medidas fundamentais podem ser tomadas para prevenir muitos dos modelos de fraudes que citamos:

  • Esteja atento ao adquirir qualquer serviço, leia junto do vendedor os termos, peça o tanto de explicações que precisar e mantenha uma cópia do contrato bem lida e resoluta;
  • Conheça seus direitos como consumidor, seus deveres e atribuições como vendedor. Entenda a incidência de taxas sobre atividades, se possível, demande uma tabela e se informe sobre qualquer atualização nos valores;
  • Nunca confie em propostas de dinheiro fácil;
  • Não deixe de usar um conciliador de cartão de crédito! Com ele você poderá verificar todos os movimentos e transações, cancelamentos e taxas;
  • Analise os cancelamentos e balanços com a maior frequência que conseguir ao fazer grandes vendas;
  • Utilize o TEF. Esse sistema é capaz de te poupar de problemas como troca de máquinas e possui um sistema que, ao invés de cobrar sobre venda executada e ponto, oferece maneiras muito mais flexíveis e seguras de organizar suas vendas.
  • Você pode usar um sistema de integração incorporando o TEF e, além de controlar as saídas de produtos, armazenar e criar planilhas importantes sobre o balanço, ainda pode automatizar a emissão de notas para o fisco, diminuindo a chance de erros e outras dores de cabeça com a Secretaria da Fazenda de seu estado.

Torne seu empreendimento cada vez mais seguro para você e seus clientes, aprendendo sobre os perigos que rondam o trabalho com cartões de crédito e adote as melhores táticas para se blindar de demais implicações.

Com a GetCard você tem um sistema amplo e prático para TEFs, conheça hoje mesmo nosso trabalho!

GetCard marca presença na NRF 2019 Big Show

GetCard marca presença NRF 2019 Big Show

A GetCard marcou presença no maior evento do mundo do varejo!

Entre 13 e 15 de janeiro, o mundo do varejo e todos os seus agentes voltaram a atenção ao NRF Retail’s Big Show 2019, evento realizado pela maior organização de varejistas do globo, no Javits Center, em New York.

Com mais de 37 mil visitantes, mais de 800 stands, 16 mil profissionais e 99 países diferentes, o evento é um marco para a comunidade varejista, um espaço onde o networking é mais que privilegiado e todas as grandes tendências estão reunidas de uma forma simplesmente única. Um verdadeiro paraíso para os profissionais da área!

Além dos stands, das apresentações e do networking, dezenas de nomes importantes desse meio ganharam protagonismo para discutir diversos temas pontuais sobre o estado, o futuro e as principais problemáticas do ramo, pessoas altamente gabaritadas falando de suas experiências e projeções com outros profissionais.

O Evento

Durante os três dias, muito aconteceu dentro do Javits Convention Center. Cada stand representava um nome em ascensão nos modelos que envolvem o varejo. Sem dúvidas, o foco está cada vez mais voltado para as tecnologias promissoras de comércio, como Inteligência Artificial, robótica, Big Data, BlockChain. Todas essas marcaram forte presença.

Robôs e drones invadiram o salão, drones de entrega, robôs de autoatendimento e plataformas se apresentaram aos varejistas, tecnologias como a Blockchain se insinuaram tanto como modelos de escrituração e controle, quanto com seu produto de destaque: as criptomoedas, que mostraram novas soluções e comodidade para o futuro dos meios de pagamento.

Muito da tecnologia selecionada no evento tinha uma relação com os perfis de consumidores, soluções de integração dos clientes e plataformas, mecanismos de reconhecimento facial, biométrico, de voz, métodos de automação, desde a criação do perfil de marketing e compra do cliente até o pagamento seguro, a entrega e o pós-venda.

Tanto o e-commerce como os retailers físicos foram contemplados por uma série de novas ideias selecionadas pela NRF para inspirar e agregar ao modelo dos profissionais.

E todas essas oportunidades e ideias que estavam disponíveis aos visitantes não eram meras peças de exposição, mas um ambiente para que parcerias e conexões reais acontecessem entre todas as partes envolvidas!

Nas palavras dos visionários!

Além de todo o show dos stands, as apresentações e tours , a maior espera foi para ouvir os nomes das empresas referências do varejo. CEOs, visionários e autores de grandes tecnologias e realizações sociais subiram aos palcos para compartilhar suas trajetórias, seus insights e dar suas perspectivas dos temas que estão no centro do debate do universo varejista.

Dentre as dezenas de nomes, podemos citar os CEOs de empresas conceituadas do mercado, como Macy’s, Alibaba, BlueMercury, ThirdLove, Walmart, Target e muitos outros que coordenam milhões de colaboradores e atendem diversos consumidores no mundo inteiro.

Alguns dos tópicos abordados: a ascensão da tecnologia no varejo, a automação de atendimento, e-commerces, a portabilidade tecnológica, a ética do futuro, a igualdade de gênero no mercado, com direito a um palco especial só das mulheres, o crescimento sustentável no social e com a natureza, os novos perfis e plataformas de consumidores.

Os principais anseios dos profissionais do varejo foram debatidos, em um ambiente preparado para servir como um fórum de tendências que irão impactar o futuro da sociedade!

A GetCard faz parte desse futuro!

Compromissada com o futuro do varejo, a GetCard não podia deixar de marcar presença no NRF, que tem tudo a ver com seu modelo comercial. Um dos temas tratados nos stands foi justamente o futuro das soluções de pagamento e integração com os sistemas de retailers. Nossa especialidade!

Com o alto fluxo e aperfeiçoamento de tecnologias de segurança e comodidade para modelos movimentados como os do varejo, as empresas que oferecem soluções de TI serão as protagonistas nas mudanças que ocorrerão.

A GetCard, engajada com todas as tendências desse mercado, esteve muito bem representada pelo Joelson Fila de Andrade, diretor da GetCard, que absorveu toda a exclusividade da NRF 2019 para fazer parte do futuro comercial.

Honrando diariamente seu compromisso com a expansão sustentável e acessível do mercado, a GetCard busca sempre estar junto das ideias mais promissoras sobre soluções de TI para varejos. Basta conferir de perto nosso trabalho.

Conheça nossa equipe através do site e confira mais informações e dicas exclusivas sobre o assunto em nosso blog. Não deixe de assinar a newsletter para receber tudo em primeira mão!

Decreto determina a obrigatoriedade de TEF no estado do Pernambuco.

Obrigatoriedade TEF Pernambuco

Confira agora sobre obrigatoriedade de TEF no estado do Pernambuco.

A partir do dia 1o de Janeiro de 2019, começa a valer o Decreto 46.087, homologado em 30 de maio de 2018, no qual se torna obrigatório o uso de terminais TEF (Transferência Eletrônica de Fundos) em vendas realizadas com cartões de crédito e débito.

Com isso, os aparelhos TEF passam a integrar obrigatoriamente os instrumentos contábeis de uma série de estabelecimentos comerciais, apesar do tom imperativo que o decreto possa ter, sua determinação é um passo importante em direção a uma automatização, regulamentação e simplificação das atividades no itinerário do SPED Contábil de muitos empreendimentos.

O TEF e seus benefícios.

A Transferência Eletrônica de Fundos, chamada de TEF, é um modelo de sistema que envolve as transações financeiras mediando a comunicação entre a automação comercial e os adquirentes.

Por meio do TEF – um pequeno aparelho com pinpad e slot para diversas bandeiras de cartões integrado ao sistema de automação comercial do estabelecimento – os dados necessários para a transação são organizados de forma automática, tanto para o consumidor quanto para o vendedor, sem precisar digitar e, posteriormente, escriturar os dados da venda.

O sistema do estabelecimento, através do reconhecimento dos códigos de barras ou outros códigos de produtos e serviços, emite diretamente para o terminal TEF os totalizadores da venda, modalidades de pagamento e produtos adquiridos.

Com essa automatização, muitos erros são evitados. Não há necessidade de fazer todo o procedimento de pagamento em máquinas de cartão variadas para diferentes bandeiras e a escritura de cada venda unitária também é diminuída, já que a TEF está integrada ao sistema de automação usado pelo lojista.

Assim, a venda se torna quase instantânea e os dados requeridos pelo SPED são levantados, enviados para o sistema que, além de preparar a Nota Fiscal Eletrônica Consumidor, irá gerar um DANFE, e sinalizar a baixa do produto adquirido para o sistema de automação. Ideal para o controle de estoque e balanço financeiro!

Para resumir os principais benefícios da TEF;

– Concilia diversas bandeiras e meios de pagamento em um único aparelho;

– Grande simplificação fiscal, automatiza as determinações do SPED Contábil e diminui consideravelmente o serviço contábil do lojista;

– Integração completa ao sistema de automatição do estabelecimento, incluindo benefícios como: sinalizar a baixa de produtos, tanto no balanço de estoque quanto no financeiro, gerando dados mais exatos e confiáveis;

– Minimiza o trabalho do operador do ponto de venda, aumentando a velocidade do fluxo de vendas;

– Torna possível a consulta em tempo real de suas vendas através de seu portal online;

– À prova de fraudes, sonegação e falhas na geração da Nota Fiscal;

– Reduz o custo das operações por possuir uma taxa fixa mensal;

– Diminui consideravelmente a burocracia e ocasionais problemas com o fisco.

Algumas considerações sobre o decreto

 Para ficar regulamentado de acordo com as determinações do decreto (Artigo 149), é importante que a emissão de NFCE (Nota Fiscal do Consumidor) esteja integrada ao sistema correspondente mencionado no cupom, assim como a emissão de DANFE. Ou seja, ambos devem ser emitidos para o cliente pelo mesmo terminal em que a venda foi realizada.

Há uma série de casos de dispensa, contanto que se enquadrem em certas modalidades e cumpram algumas determinações:

– Estabelecimentos concessionários ou permissionários de serviços públicos relativos a fornecimento de energia elétrica, gás canalizado ou distribuição de água, cooperativas de produtores, lanchonetes, bares, restaurantes, e-commerces, atacadistas que são empresas industriais, isso é, sem estabelecimento próprio de vendas. –  Para os 6 últimos é preciso a emissão de NFC-e em todas as operações. (Art. III);

– Vendas realizadas fora do recinto;

– MEIs, contribuintes enquadrados no regime Simples Nacional e produtores rurais não inscritos em CNPJ também estão dispensados da emissão de NFC-e via TEF ou outros meios eletrônicos.

Para maiores detalhes, você pode consultar o portal da SEFAZ e conferir o documento do Decreto 46.087 na íntegra.

Conclusão

O fisco tem se modernizado e sua migração para a esfera on-line facilita muito a vida de quem quer estar em dia com sua contabilidade.

O TEF possui um papel importante nesse processo: da escrituração até a integração com os sistemas de administração do espaço físico e financeiro dos estabelecimentos comerciais. Pensando nisso, a GetCard se empenha no desenvolvimento, integração e manutenção de diversas soluções empresariais para o seu negócio.

Conheça nossos projetos, princípios e serviços. Para receber mais informações atualizadas sobre o meio, assine nossa newsletter!